Os produtos da TIO Care permitem uma limpeza perfeita dos dentes mas também uma consciência limpa! Em vez de plástico convencional feito a partir de petróleo, os produtos da TIO utilizam bioplásticos de origem vegetal. A utilização de matérias-primas renováveis permite reduzir drasticamente as emissões de gases de efeito estufa e evitar as consequências fatais da extração de combustíveis fósseis.

Do campo – para a fábrica – para a nossa casa

O processo de fabricação é muito importante para nós! Como o plástico feito a partir de cana-de-açúcar é o principal componente dos produtos da TIO Care, queremos explicar-vos rapidamente como é realmente feito – da planta ao produto final. Porque, infelizmente, usar este tipo de plástico ainda não é comum.

Cana-de-açúcar

A cana-de-açúcar é uma das gramíneas mais doces. Os caules têm uma largura de 20 a 45 mm e atingem entre 3 a 6 metros de altura. A cana-de-açúcar cresce em climas tropicais e desenvolvem-se em temperaturas entre os 25 e os 30°C.

 

Fotossíntese da cana-de-açúcar

Como todas as plantas, a cana-de-açúcar “respira” CO₂ da atmosfera. Durante o processo de fotossíntese, converte dióxido de carbono e água em oxigénio. Cada tonelada de bioplástico feito a partir de cana-de-açúcar absorve até 2,5 toneladas de CO₂ da atmosfera, enquanto que a extração de petróleo para o plástico convencional apenas emite CO₂.

Cultivo e Colheita

A cana-de-açúcar utilizada nos produtos da TIO Care vem do Brasil – o maior produtor do mundo. As áreas cultivadas representam cerca de 8 dos 283 milhões de hectares das terras aráveis. A primeira colheita pode ocorrer entre os 9 e os 24 meses após a plantação. Depois disso, passado 12 meses, a colheita pode ser feita novamente (podendo ser colhida até 5 vezes)!

 

 

Processamento em Bioetanol

Após a colheita, a cana-de-açúcar é picada, prensada e transformada em açúcar cristal. O melaço (líquido obtido através da etapa de centrifugação) é a base do bioplástico. O melaço será fermentado com a adição de levedura e refinado por destilação, obtendo-se um álcool 99% puro (bioetanol).

Muitos resíduos podem ser utilizados na produção de papel. Parte do bagaço (sobras de fibras) é queimado para produzir energia térmica para produção e energia elétrica necessária para as máquinas. Como resultado, as usinas de cana-de-açúcar são autossuficientes!

Bioetanol torna-se Bioplástico

Agora, entramos num registo mais químico/molecular! O bioetanol é primeiro vaporizado na forma de gás etileno e depois processado em biopolietileno por polimerização em cadeia. Ok, descomplicando, sem usar termos técnicos: o gás transforma-se numa substância sólida, em granulado.

 

Transporte

O granulado de bioplástico é transportado por navio até aos portos mais próximos do destino seguinte. Para compensar as emissões de CO₂ resultantes, apoiamos a Plant For The Planet com o seu projeto de reflorestamento. Assim que o granulado chega ao porto, é transportado por camiões até aos parceiros de produção na Alemanha.

Produto-Final e Embalamento

Na última etapa, o granulado de bioplásico é finalmente formado por moldagem nos respetivos produtos da TIO Care – como as cabeças das escovas de dentes elétricas, as tampas de viagem ou os aros dos fios dentários. O produto final é então embalado em caixas de papelão com certificação FSC® e transportado para o armazém em Hamburgo.

 

Para conhecerem as escovas de dentes em bioplástico, cliquem aqui